Como a tecnologia pode facilitar o planejamento de férias

Dentre os muitos desafios enfrentados pelos profissionais de RH, manter os bons resultados da empresa aliados à satisfação de seus colaboradores certamente está entre os mais significativos – e um dos assuntos que requerem bastante atenção é o planejamento de férias.

Direito assegurado pela CLT, as férias trabalhistas são essenciais para a qualidade de vida dos funcionários. Mais do que um justo período de lazer e descanso, as férias têm o poder de restaurar a motivação dos empregados, melhorar o ambiente de trabalho e influenciar nos níveis de produtividade da organização.

Assim, para que a gestão de férias seja realizada de maneira equilibrada, o departamento pessoal deve conciliar as necessidades de seus colaboradores com os interesses e objetivos da empresa, mantendo o funcionamento saudável de todos os setores da corporação. Respeitar a legislação vigente, evitar prejuízos financeiros, programar o pagamento dos valores correspondentes e, ainda, organizar datas e disponibilidades, são itens indispensáveis para um plano de férias eficiente.

Sabemos que a gestão de recursos humanos não é tarefa fácil, mas a adoção de ferramentas digitais pode ser um passo definitivo para a construção de um RH estratégico.

Quer saber como a tecnologia pode auxiliar no planejamento de férias? Continue com a gente e leia o artigo que preparamos para você!

Como a falta de planejamento de férias afeta sua empresa?

O direito a férias remuneradas está entre os benefícios trabalhistas mais conhecidos. Após 12meses trabalhados, a legislação prevê um período de descanso de 30 dias, que pode ser fracionado em até três partes: um período de, no mínimo, 14 dias e os outros não podem ser menores do que 5 dias.

Para garantir a segurança da empresa, o departamento de recursos humanos precisa estar atento às normas legislativas, que costumam ser revisada se atualizadas periodicamente, como ocorreu com a Reforma Trabalhista. De acordo com a CLT, permanece a determinação de que, quando as férias do funcionário são concedidas após o período previsto no artigo 134, o empregador deve pagar o dobro da remuneração.

Ter que pagar o dobro do valor das férias em razão de prazos vencidos é um dos principais danos causados pela falta de planejamento adequado, afetando diretamente a saúde financeira da empresa. A atenção aos prazos de aquisição e concessão do período de férias é extremamente importante, justamente para que sejam evitados os tão temidos passivos trabalhistas.

Outro fator que merece destaque é o ambiente organizacional. Promover o bem-estar corporativo é um dos compromissos assumidos por bons gestores e essa missão pode ficar comprometida caso não haja um controle eficiente sobre o planejamento de férias.

Mais do que questões jurídicas, o não cumprimento dos prazos estabelecidos pode desmotivar até os colaboradores mais resilientes. Sem o descanso necessário, os índices de estresse sobem e a qualidade do trabalho diminui. Os funcionários sentem-se sobrecarregados e desvalorizados, podendo gerar insatisfação e ressentimentos em relação à empresa.

Manter uma imagem positiva com seus colaboradores é essencial para o sucesso de uma corporação, e uma gestão eficiente buscará priorizar tanto a produtividade quanto a saúde física e mental dos trabalhadores.

A tecnologia como facilitadora do planejamento

A tecnologia é uma grande aliada dos profissionais de RH, uma vez que a utilização de softwares adequados é capaz de tornar os processos mais ágeis e seguros, reduzindo os erros causados pela gestão manual de informações.

 

Geralmente, em um única solução é possível obter funcionalidades como: automatização de cálculos trabalhistas, planilha para controle dos períodos de descanso, painel para solicitação e aprovação de férias, registro das jornadas de trabalho, entre outras ferramentas.

Na Soft Trade, criamos o FatoR H, uma solução que proporciona aos gestores um efetivo controle de recursos. Utilizando operações automatizadas e inteligentes, o Fator H oferece o pleno controle de vencimento de períodos aquisitivos, podendo também fazer uso de programação compulsória em caso de vencimento iminente; dispõe de facilitadores para programação em grupo ou férias coletivas, obedecendo à legislação vigente; e permite o cadastro de regras para garantir que a descentralização não infrinja a legislação e as políticas da empresa.

Qual a melhor maneira de realizar a gestão de férias?

Com uma gestão assertiva, as empresas podem realizar um planejamento de férias realmente estratégico, evitando que o tempo de descanso dos colaboradores impacte negativamente a empresa.

A seguir, listamos 3 passos para uma gestão de férias eficiente:

Defina uma política de férias

 

A elaboração de diretrizes é fundamental para que o planejamento de férias faça parte da cultura interna de uma empresa. Criar um “manual” de orientação para os funcionários permite que todos fiquem cientes das regras estipuladas para o bem-estar coletivo e assegura o cumprimento das boas práticas organizacionais. Devem constar no documento norteador informações sobre férias coletivas, cálculos, vendas e parcelamento de férias, quantos funcionários podem se ausentar simultaneamente no mesmo setor, orientações sobre prazos de aquisição e concessão, princípios básicos previstos na CLT, entre outras.

Lembre-se do aviso de férias

 

De acordo com a CLT, a concessão das férias deve ser formalmente apresentada ao funcionário no mínimo 30 dias antes do agendamento. No documento, deve constar a data de início e término das férias, bem como a assinatura das partes. Por isso, é indispensável programar um lembrete sobre as datas de licença do colaborador.

Faça a programação

 

Para prever os períodos de ausência dos funcionários e evitar perdas financeiras e sobrecarga de equipes, é essencial estabelecer um planejamento de férias. A programação prévia estipulará um prazo para que todos os funcionários apresentem suas solicitações de descanso remunerado. Em seguida, os gestores poderão avaliar o impacto dessas ausências para o funcionamento da empresa e, a partir dessa análise, concederão ou não as férias no período requerido. As empresas também podem definir quando os colaboradores podem tirar férias, de acordo com as sazonalidades específicas de cada ramo.

Gostou do nosso conteúdo? Então leia mais no e-book “Guia do recesso remunerado: metodologias e aplicações” e saiba tudo sobre o assunto!

Relacionados

With over 2,400 apps available in the Slack App Directory.
No items found.